quinta-feira, 28 de julho de 2011

As quatro observações a respeito da oferta

Enquanto durar a terra, plantio e colheita, frio e calor, verão e inverno, dia e noite jamais cessarão (Gn 8:22 NVI)
Quero fazer 4 pequenas observações sobre esse texto e encerro a minha palavra. Essas observações são:
1.      Essa é a segunda oferta registrada na Bíblia e a primeira oferta após o dilúvio
Essa oferta estabelece um princípio para todas as demais ofertas que ocorrerão depois dela. O que ele modificou na vida de Noé, aponta para aquilo que a nossa oferta pode modificar na nossa própria vida.
2.      A oferta pode mudar radicalmente nossa vida
Ao considerarmos o contexto desse versiculo vemos que Deus decidiu não amaldiçoar mais a terra por conta dessa oferta. Quando nós ofertamos com propósito específico, todas as legalidades que o diabo tinha sobre nossas finanças são quebradas pelo nosso ato de obediência a Deus.
Deus disse que seu povo Israel estava sendo amaldiçoado por lhe roubar nos dízimos e nas ofertas. Não roubamos somente nos dízimos, mas lhe roubamos também nas ofertas. E roubo gera maldição.
Não somos obrigados a ofertar, mas Deus ama aquele que dá com alegria, pois oferta é um gesto de liberalidade para com o Reino de Deus.
3.      O plantio e a colheita são eternos
Deus condicionou a durabilidade da oferta a existência dos céus e da terra. E pelo ensino apostólico sabemos que a terra será regenerada, isto é, a terra retornará ao estado original anterior a queda. Os novos céus de Apocalipse são os mesmos céus atuais, mas sem a presença das legiões infernais atuando sobre eles.
Se os céus e a terra permanecerão, aquilo que semeamos aqui refletirá na eternidade. Por isso o apóstolo Paulo dizia que aquele que semeava em prol da carne, colheria corrupção da carne, mas aquele que semeava em prol do Espírito Santo colheria vida eterna do Espírito Santo.
Por isso ainda, o apóstolo  Paulo dizia que aquele que semeia pouco, pouco também colherá. A quantidade de vezes que você semeou não somente dinheiro, mas tempo, amor, carinho, unção na vida de alguém contará muito lá na eternidade, pois Deus não se deixa enganar aquilo que o homem plantar isso mesmo colherá.
4.      Sempre estamos plantando e colhendo alguma coisa diariamente
Podemos plantar coisas boas ou coisas ruins. Podemos plantar relacionamentos instáveis , como relacionamento estáveis. Aquilo que plantamos hoje colheremos amanhã.
Então, qual têm sido a qualidade da nossa oferta diante da presença de Deus? Ela têm feito que Deus feche as legalidades dada ao diabo ou não através da nossa obediência?
Pense se Deus faria a promessa que ele fez se fosse sua oferta a oferta que fosse apresentada naquele altar. Deus daria a mesma promessa a você da promessa que ele fez a Noé?

terça-feira, 26 de julho de 2011

E-mail a um líder cansado e com vontade de desistir
Todos os dias algum líder se cansa e acaba desistindo de tudo, deixando para trás sonhos, planos, realizações, liderados, experiências, motivações. Quando isso acontece, todos saem perdendo. Os liderados, a família, a sociedade e o próprio líder.
Este e-mail é inspirado em um e-mail real escrito a um colega cansado e com vontade de desistir. O reescrevo com o desejo de encorajar a outros líderes que porventura estejam vivenciando um tempo de crise e cansaço:
Prezado colega, escrevo-lhe porque reconheço que sua vida é preciosa, sua missão especial e seu chamado, único. Sei que há momentos em que a situação se torna quase insustentável, e ao olhá-la de frente não enxergamos nenhuma saída, e a única porta que nos parece aberta é a que nos leva ao caminho da desistência.
Talvez esta seja a última mensagem que você leia antes de entregar tudo e se retirar. Mas leia com atenção, pois ela também pode ser o marco do reinício e o toque para um recomeço em sua jornada como líder.
Antes de continuar quero te lembrar que não sou melhor do que você, o que lhe escrevo aplico antes a mim mesmo, pois muitas vezes também já pensei em desistir. Esta mensagem não vem de alguém que te olha de cima para baixo, mas de alguém que está a teu lado, ombro a ombro lutando o mesmo combate, buscando fazer a vontade daquele que nos convocou a liderar o seu povo.
Se você me permite, quero compartilhar com você alguns conselhos muito simples, que certamente você já sabe. Mas são verdades que me ajudam e espero possam ajudá-lo  a vencer este cansaço e este intenso desejo de desistir. Com humildade, aí vão eles:
1-Não exija demais de si mesmo, você é apenas um ser humano normal.
Você não é uma máquina de liderar, você é apenas um ser humano normal cheio de ambigüidades, limitações e virtudes. Mantenha altos padrões pessoais, mas padrões realistas. Não se superestime nem se subestime. Lembre-se que ter fraquezas e crises apenas mostra que você é humano e isso não é demérito, pois você não é um super-homem. Você foi feito do barro tocado por Deus.
2-Não fique se comparando com os outros ou com os “resultados” que vê em outros ministérios – as aparências enganam e só Deus conhece a verdade total dos fatos.
Você é único, não existe outro você. Não se iluda com números ou notícias alvissareiras. Por trás de todo sucesso verdadeiro há muita luta. A glória vem depois da cruz.
3-Nunca carregue o  fardo sozinho, procure apoio sempre.
Nunca se isole de outros companheiros sinceros. Nós precisamos da ajuda uns dos outros. Quanto mais sozinhos ficarmos, mais difícil será encarar os desafios da vida. Deus criou uma grande família para você porque ele faz com que os solitários vivam em família.
4-Por maior que seja a visão, ela sempre parte de pequenos passos, de um passo de cada vez.
A visão que você tem parece distante, talvez esteja mesmo, mas lembre-se que uma visão, por maior ou menor que seja, sempre se alcança a partir de pequenos passos que somados ao final completarão o grande quadro a ser alcançado. Dê um passo de cada vez, caminhe dia-a-dia, não tente dar um pique de 100 metros se a corrida na verdade é uma maratona. Não ignore os pequenos começos.
5-Trate bem da saúde.
Cuidar da saúde não é incredulidade, ao contrário, é sabedoria. Coma bem, descanse, pratique exercícios, vá ao médico regularmente. Não espere aparecer sintomas doentios, não espere surgir um tique nervoso para dar um tempo. Sempre que for preciso, diminua o ritmo para poder ir mais longe. Há tempo para todo propósito debaixo do céu.
6-Viva um dia de cada vez, você tem um futuro pela frente.
Não se deixe dominar pelas ansiedades do amanhã. Planeje o futuro sem deixar o futuro dominar você. Lembre-se que sem presente não haverá amanhã. Portanto, tente viver um dia de cada vez, olhe para o amanhã mas viva o hoje. Suas meras preocupações não irão mudar nenhuma situação futura.
7-Valorize seus pontos os fortes e trabalhe os pontos fracos, todos têm isso.
Você tem muitos pontos fortes. Valorize-os, tenha consciência deles, você já tem realizado muita coisa boa na vida. Estes pontos são seus, fazem parte de sua personalidade, são frutos da graça divina em sua vida. Com relação aos pontos fracos, reconheça-os e busque com equilíbrio e bom senso melhorá-los, mas sem fazer disso uma doença. Todos nós estamos crescendo como pessoas na vida, você ainda não está completo, ninguém está.
8-Nunca se esqueça que Deus sempre usa os fracos para a sua glória.
Ao se quebrantar você está se identificando com todos os servos que o Senhor  realmente usou. Deus não pode derramar a sua graça e glória em vasos cheios de si mesmos. Por isso, ele nos esvazia para poder nos encher do que há de melhor.
Este tempo de cansaço, quebrantamento e vontade de desistir pode ser a véspera de algo grande que o Senhor irá fazer em sua vida. Ele é especialista em nos surpreender e usar aqueles que estão quebrados em sua presença. Derrame-se diante dele – este é o melhor lugar para os cansados.
Concluindo, não se entregue, amado colega! Para tudo há uma saída. Erga a sua cabeça; há um horizonte a enxergar, há uma jornada a continuar, há um propósito a cumprir. O melhor de tudo é que Deus deseja ir com você e, se ele vai conosco, tudo é possível.
Um grande abraço
A importância dos frutos autênticos
“Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.” (Mt 7:13-23)
O verdadeiro fruto é o que distingüe o falso profeta do profeta autêntico. Porque observamos que todos os falsos profetas estão muito próximos da porta estreita. Jesus começa dizendo: “Entrem pela porta estreita, porém sejam cautelosos com os falsos profetas”. O que Jesus dizia ali era que os falsos profetas estão junto com vocês no cotidiano, vigiem e os conheçam para não andarem com eles E o próprio Jesus aponta o meio que os conheceremos: PELOS FRUTOS
E se nós analisarmos os frutos desses falsos profetas ficaríamos estupefatos. Eles profetizam, expulsam demônios, fazem muitas maravilhas. E a maioria dos cristãos verdadeiros nem sequer expulsam demônios quanto mais fazer muitas maravilhas.
Esse permanência dos falsos profetas não é de hoje, já nos tempos apostólicos existiam lobos devoradores no meio do rebanho.
Quando o apóstolo Paulo despedia-se definitivamente dos efésios, ele disse aos bispos daquele lugar: “Cuidem do rebanho que o Espírito Santo comprou com seu sangue, porque surgirão muitos falsos profetas que tentarão arrastar os discípulos após si”
Quando o apóstolo Pedro escrevia sua carta aos irmãos, ele dizia: “Irmãos, como houve falsos profetas no meio de Israel, da mesma forma haverá no nosso meio, portanto sejam sóbrios e vigilantes”.
Quando Judas, irmão de Tiago escrevia sua carta, ele dizia que esses falsos profetas são nuvens sem água, ou seja, só tinham  a aparência, mas não o conteúdo.
Os frutos ficam no nosso interior. Por isso, Jesus disse: “Interiormente”. Não é a quantidade de almas, dons, unção que determinam os frutos, mas a obediência.
Os falsos profetas tinham dons, uma falsa“unção”, mas não obedeciam. Jesus disse: “Todo aquele que faz a vontade de meu Pai entrará no reino dos céus”, isto é, quem o obedece.
Houve um homem chamado João Hyde que era um evangelista de mão cheia  de séculos passados, que dizia: “Conheço só uma palavra: OBEDIÊNCIA.
Por isso, Tiago, irmão de Judas, dizia: “Não sejam apenas ouvintes da palavra, sejam praticantes da Palavra. Obedientes à Palavra de Deus.
Os falsos profetas nunca renasceram, porque o Senhor Jesus disse: “Apartem-se de mim, pois vocês praticam a iniqüidade”. Quando cremos na revelação total do N.T. sabemos que aquele que vive na prática de pecado não é nascido de Deus, pois aquele que nasceu de Deus o guarda e o maligno não lhe toca.
A bíblia ensina que a lei do plantio e da colheita (Semeadura e Colheita) é algo eterno. Aquilo que o homem semear isso mesmo colherá. Se semearmos em prol da natureza carnal caída, da natureza carnal, colheremos corrupção, mas se semearmos em prol do Espírito de Deus, do Espírito de Deus colheremos vida eterna.
Leitor, qual tem sido nosso plantio? João Stot dizia: “Não espere resultados extraordinários por vias comuns”. Façamos coisas diferentes, para colhermos coisas diferentes. Os frutos falam do comportamento. O comportamento cristão no cotidiano é o que diferencia-nos dos ímpios.
Você tem atitudes cristãs? Você tem frutos autênticos? Quais frutos seriam?
Para exemplificar melhor, existem dois tipos de frutos autênticos:
1.      Os frutos gerais (Frutos do Espírito Santo como amor, alegria, paz, paciência)
2.      Os frutos pessoais (Atitudes pessoais, como orar, ler a bíblia, evangelizar)
Para aqueles que dizem não haver frutos pessoais, pela bíblia vejo que a vontade  e a unção de Deus para nós são pessoais, alguns exemplos:
·        Jesus ministrou as multidões como nas multiplicações de pães e peixes
·        Jesus ministrou a uma única pessoa como ao curar a sogra de Pedro, ao curar o servo do centurião romano, ao curar o paralítico trazido por quatro homens.
Entendemos, portanto, que a vontade de Deus é tanto geral como a santidade, mas também é pessoal, pois Deus se relaciona pessoalmente com seus filhos.
Podemos e devemos ter os dois tipos de frutos verdadeiros; Se você tem um, cultive o outro se você não tem nenhum busque ambos, se você tem os dois os conserve. Que possamos ser uma geração de profetas autênticos, cheios de frutos de Justiça em Jesus Cristo de Nazaré. Deus nos abençõe!


domingo, 24 de julho de 2011

Plantio e Colheita

“Enquanto durar a terra, plantio e colheita, frio e calor,verão e inverno,dia e noite jamais cessarão”. (Gn 8:22 NVI)
Gostaria de comentar aqui algumas coisas a respeito desse versiculo:
1.    Sempre haverá plantio e colheita:
A duração do plantio e da colheita está condicionada a existência da Terra e sabemos que a terra sempre existirá, porém não da forma atual pois foi degradada pelo pecado e nem será o paraíso, pois o paraíso é onde está a árvore da vida.
Jesus nos assegurou a existência eterna da terra ao dizer para seus discípulos sobre a regeneração. Esse ensinamento foi muito propagado na primeira igreja, porque no seu testemunho as autoridades, Pedro disse que os céus reterão Jesus até o tempo da restauração de todas as coisas.
Essa palavra, restauração significa que a terra tornará a seu estado pacífico anterior a queda humana e o regime de governo será teocrático, isto é, Deus no governo absoluto de todas as coisas.
A lei do plantio e da colheita significa que o que o homem plantar isso mesmo colherá. Cabe bem nesse sentido a frase de Orlando Boyer que dizia: “Não é só o futuro que se determina na mocidade, mas também toda a eternidade”.
Nós nascemos, recebendo “sementes”. Desde o berço, nossos pais ensinam princípios que modelarão toda nossa vida e nós temos o mau costume de pensar que a vida cessa com a morte, contudo, a bíblia ensina que o cristão já passou da morte para a vida porque crê no unigenito filho de Deus. Nossa vida continuará na eternidade, pois nada nos poderá separar de Deus.
Uma prova boa para se falar de que nossas semeaduras terrenas repercutirão na eternidade é que nossos galardões no reino milenar de Cristo serão baseados na obra que fizemos enquanto no corpo.
O que você faz aqui nesse corpo, determinará sua posição na eternidade. Aí que vem a grande questão: “O que nós temos semeado?” “O que sememos, tem qualidade?”  
Quando nós resolvemos não semear, na verdade estamos semeando porque a bíblia diz que o que semeia ventos colhe tempestades, ou seja, de nada sai nada. Quando você pensa não estar semeando, você está semeando, mas essa semente é uma semente prejudicial, sem propósito e sem colheita.
Ouvi que nunca deixaremos de semear para Deus, para outros e para nós mesmos, pois nossa vida é uma constante semeadura para Deus, nele vivemos, existimos e nos movemos. Para o próximo, porque o que nós lhes fizemos é o que eles nos farão e para nós mesmos, porque cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus no tribunal de Cristo.
Lembre-se do que Jonathan Goforth ensinava e verdadeiro: Sempre há sementeira antes da colheita
2.    Sempre haverá perseguição até o regresso de Cristo
O apóstolo Paulo em sua última carta tanto a Timóteo como a Igreja disse que todos os que querem viver piedosamente em Cristo sofrerão perseguições.
O histórico do povo judeu é um histórico de perseguição, desde a entrada no Egito por meio de Jacó e seus descendentes até os dias atuais quando guerreiam com os palestinos pelas terras da antiga Canaã.
Essa mesma perseguição transferiu-se para os discípulos, pois Jesus falou que se o perseguiram também perseguiriam seus discípulos. E a perseguição está implícita até o regresso de Jesus, pelo fato de ele dizer que os israelenses não evangelizariam todas as cidades até o seu regresso.
“Calor” nesse texto fala de perseguição; O ouro é provado pelo “Calor” do fogo. O Pai dizendo a Israel mediante Isaías dizia: “Acrisolei (Passei pelo forno) vocês”. O apóstolo Pedro diz que o resultado de suportarmos pressões é que nossa fé será um fruto de louvor honra e glória na revelação de Jesus Cristo.
O mesmo apóstolo Pedro dizia que sofrimentos iguais aos nossos se cumprirão nos primeiros discípulos e continuam a se cumprir aos irmãos em todas as partes do Globo Terrestre.
Cabe bem nesse sentido o que Eclesiastes ensina que não há nada novo debaixo do céu, as perseguições começaram desde o Éden e Continuarão até depois do Milênio, porque a última revolta de satanás se situa após o reino milenar de Cristo Jesus.
3.    Sempre haverá testes a nossas emoções
A bíblia diz que o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã. O choro aqui nesse texto significa tristeza como a alegria simboliza o amanhecer. Quando Deus fala a Noé que nunca cessarão dia e noite, ele o está dizendo tanto literal quanto figurativamente, pois na criação do universo, Deus falou que a lua e todos os componentes celestes serviriam de sinal. A psicologia diz que ninguém é emocionalmente extatico a não ser que esteja morto. Então até o retorno de Cristo haverá testes as suas emoções, por isso, lá na eternidade, Deus enxugará dos nossos olhos todas as lágrimas! Aleluia!!!
4.    Haverá momentos que você irá querer esfriar espiritualmente, mas o fogo do Espírito reacenderá em ti
Verão fala de algo quente. E alguém já disse: “Ou você queima no fogo de Deus, ou você queima no fogo do inferno”. Algo quente em nós é a presença do Espírito Santo de Deus, pois ele é fogo consumidor!
Inverno fala de algo frio ao extremo. É quando você quer desistir, mas o interessante é que Deus é fogo e habita em nós e nunca deixará que esfriemos.
Quero concluir dizendo-lhes: “O que nós temos semeado tem qualidade ou só quantidade que de nada serve?” Pense nisso!

terça-feira, 19 de julho de 2011

Transbordantes no Espírito Santo de Deus


“E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo; Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus.” (Ef 5:18-21)
A tradução “enchei-vos” pode significar também: “Transbordar”. A primeira igreja transbordava em alegria e no Espírito Santo: “E os discípulos estavam cheios de alegria e do Espírito Santo” (At.13:52). E a palavra diz como devemos fazer isso vejamos:
1.    Falando dos Salmos
Os salmos constituem a terceira divisão do AT. chamada “Escritos”. Então, devemos falar sempre da Palavra de Deus, pois a boca fala do que o coração está cheio, pois a morte e a vida estão no poder da língua e o que a bem utiliza come do seu fruto (Lc 6:45; Pv 18:20,21). Qual é a confissão que sai dos seus lábios, leitor? Com o quê você tem concordado, com palavras de vitória, possibilidade ou pessimismo?
2.    Cantando
Deus Habita no meio dos louvores de Israel: “Porém tu és santo, tu que habitas entre os louvores de Israel.” (Sl 22:3). Quando Paulo e Silas estavam na prisão em Filipos, ao cantarem louvores a Deus os alicerces da prisão foram sacudidos e os prisioneiros foram soltos, daí se diz que o louvor liberta. Existe um ditado que diz “Quem canta, seus males espanta”.
3.    Tendo gratidão a Deus e respeito ao próximo (vs 20,21)
As epístolas Paulinas estão cheias de recomendações sobre gratidão, exemplos disto são textos como Fp 4:6 que diz “Não estejais ansiosos por coisa alguma, antes em tudo, vossas petições sejam conhecidas diante de Deus com ações de graça. E também 1 Ts 5:18 que diz: “Em tudo dai graças, pois esta é a vontade  de Deus em Cristo Jesus para convosco”. O respeito ao próximo pode ser vista na divisão do decálogo (Dez mandamentos de Moisés): os 4 primeiros falam do relacionamento com Deus, o Pai e os 6 últimos falam do relacionamento entre os homens. Jesus qualificou essa mesma divisão nos evangelhos ao resumir a lei nos dois maiores mandamentos.
Já que vimos como ser cheios ou transbordantes do Espírito vejamos agora o porque ser cheio:
1.    Para aproveitar melhor as oportunidades.
Remir o tempo no v 16, em grego pode significar também aproveitar melhor as oportunidades. A ARA traduz assim Cl 4:5 sendo que a construção gramatical de Cl 4:5 é a mesma de Ef 5:16a;
2.    Pois os dias são maus (v 16b)
O apóstolo Paulo nos diz que ao revestirmos da armadura de Deus permaneceremos inabaláveis no dia mau. A armadura de Deus vem pelo Espírito de Deus porque o Espírito a todas as coisas perscruta até mesmo as profundezas de Deus e a revela a nós.
3.    Para entender a vontade de Deus
Quem conhece o homem é o espírito humano e quem conhece a vontade de Deus é o Espírito de Deus (1 Co 2:11). Deus através de seu Espírito Santo tem nos revelado sua bendita e poderosa vontade, pois segundo a mente de Deus é que ele intercede pelos santos (Rm 8:27)
Vamos comentar agora um pouquinho mais sobre o enchimento do Espírito Santo:
O enchimento do Espírito Santo:
1.    É pleno, transbordante
A palavra “enchei-vos” é a palavra grega “pleroo” e um de seus muitos significados é transbordar. O Espírito Santo não quer uma vida ralé, mas ele quer ser conhecido intimamente, quer conduzir-nos ao conselho de Deus. Muitos ao experimentarem o batismo no Espírito Santo não se aprofundam em conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus (1 Co 2:12), mas o desejo de Deus é que o conheçamos como somos conhecidos (1 Co 13:12)
2.    É o suprimento de Deus para sua igreja
Outro dos significados de pleroo é suprir. Uma igreja que experimenta o suprimento pleno de Deus é aquela que é transbordante do Espírito Santo. Por isso  a primeira igreja em Jerusalém não sentia falta de nada, pois o Espírito Santo em seu meio era pleno. (At. 4:32-37)
3.    Deve ser constante
Encher deve ser constante porque nós esvaziamos e como diz o ditado “saco vazio não pára em pé” se nós não estivermos cheios do Espírito Santo não poderemos cumprir o que a bíblia diz “Aquele que pensa estar em pé cuide que não caia” (1 Co 10:12)
Deus não dá seu Espírito por medida (Jo 3:34) e também quer que o busquemos com uma intensidade maior porque aquele que pede recebe o que busca encontra e quem bate se lhe abre (Mt 7:7-11). É tempo de buscar o renovo de Deus em sua vida através do Espírito Santo

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Até que venha e chova a justiça sobre nós...

Semeai para vós em justiça, ceifai segundo a misericórdia; lavrai o campo de lavoura; porque é tempo de buscar ao SENHOR, até que venha e chova a justiça sobre vós. (Os 10:12)
É tempo de buscar o SENHOR com excelência e para tanto existem algumas regras que compartilho com vocês agora. Para orar com excelência precisamos de:
1.     Semear justiça
Semear justiça é crer no SENHOR como Abraão creu nele. Em Gn 15:6 diz: “E creu ele no SENHOR, e imputou-lhe isto por justiça”.Semear justiça é praticar a palavra de Deus. Em Dt 6:25 diz: “E será para nós justiça, quando tivermos cuidado de cumprir todos estes mandamentos perante o SENHOR nosso Deus, como nos tem ordenado”. Semear justiça é fazer a restituição quando for necessário como ensina Dt 24:13 que diz: “Em se pondo o sol, sem falta lhe restituirás o penhor; para que durma na sua roupa, e te abençoe; e isto te será justiça diante do SENHOR teu Deus”. Semear justiça é ser Leal como 1 Sm 26:23 ensina e diz: “O SENHOR, porém, pague a cada um a sua justiça e a sua lealdade; pois o SENHOR te entregou hoje na minha mão, porém não quis estender a minha mão contra o ungido do SENHOR”. Semear justiça é semear pureza como ensina 2 Sm 22:21 que diz: “Recompensou-me o SENHOR conforme a minha justiça; conforme a pureza de minhas mãos me retribuiu”. Semear justiça é confiar no SENHOR como diz o Sl 4:5 “Oferecei sacrifícios de justiça, e confiai no SENHOR. "
2.     Colher segundo a misericórdia
A misericórdia deve ser feita aos pobres. “Portanto, ó rei, aceita o meu conselho, e põe fim aos teus pecados, praticando a justiça, e às tuas iniqüidades, usando de misericórdia com os pobres, pois, talvez se prolongue a tua tranqüilidade”(Dn 4:27). A misericórdia do SENHOR se renova a cada dia: “As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade” (Lm 3:22,23). A misericórdia permeia todas as obras do SENHOR:“O SENHOR é bom para todos, e as suas misericórdias são sobre todas as suas obras”. A misericórdia triunfa sobre o juízo: “Porque o juízo será sem misericórdia sobre aquele que não fez misericórdia; e a misericórdia triunfa do juízo. (Tg 2:13). Jesus falou que quem planta misericórdia colherá misericórdia: “Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia; (Mt 5:7)

3.     Lavrar o campo de lavoura:
É preparar o campo adequadamente para a semeadura como ensina Jr. 4:3: “Porque assim diz o SENHOR aos homens de Judá e a Jerusalém:Preparai para vós o campo de lavoura, e não semeeis entre espinhos”. É pôr a mão na massa como ensina Pv 27:23-27 que diz: “Procura conhecer o estado das tuas ovelhas; põe o teu coração sobre os teus rebanhos, Porque o tesouro não dura para sempre; e durará a coroa de geração em geração? Quando brotar a erva, e aparecerem os renovos, e se juntarem as ervas dos montes, Então os cordeiros serão para te vestires, e os bodes para o preço do campo; E a abastança do leite das cabras para o teu sustento, para sustento da tua casa e para sustento das tuas servas. É preparar no tempo certo como Pv 9:1 ensina: A SABEDORIA já edificou a sua casa, já lavrou as suas sete colunas.
É tempo de buscar a face de Deus até que ele venha e chova justiça sobre nós, não desanimaremos no meio do caminho porque ele nos levará até o fim.

domingo, 10 de julho de 2011

Porque  desde  a  antiguidade não se ouviu nem com ouvidos se percebeu, nem com olhos se viu Deus além de ti que trabalha para aquele que nele espera. (Is 64:4)
Vejamos algumas verdades com relação a obra de Deus:
DEUS SEMPRE TRABALHA
A  palavra “antigüidade” significa “eternamente, para todos os tempos”. Por isso Jesus falou: Meu pai trabalha até agora e eu trabalho também (Jo 5:17), por isso o apóstolo Pedro disse: Pois esta promessa é para vós e para vossos filhos a tantos quantos o Senhor nosso Deus chamar (At. 2:39). A imutabilidade de Deus é a base para o trabalho eterno de Deus, Deus nunca muda e Deus sempre trabalha. Vemos isso na vida terrena de Jesus, onde Jesus sempre curava os enfermos e necessitados mesmo em dia de sábado.
Essa é a mesma palavra que qualifica o nosso Deus como Eterno. Por isso podemos crer na permanência dos dons do Espírito Santo, na permanência da salvação eterna, porque os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis (Rm 11:36). A palavra “irrevogável” significa que Deus não está arrependido de conceder os dons. Ele os concedeu eternamente!
DEUS É O ÚNICO QUE TRABALHA PELO SEUS
A palavra “além de Ti” significa “com exceção de”. Nenhum outro deus trabalha pelo seus fiéis com exceção de Deus. Os pseudo-deuses até podem trabalhar por seus fiéis, mas sempre trabalham querendo algo em troca; contudo, o nosso Deus só exige espera. Vemos isso claramente na história de Eliseu onde o rei inimigo soube que Eliseu falava ao rei de Israel as palavras que o rei da Síria falava na sua câmara de dormir. Vemos isso quando Baal caiu diante da arca da aliança e seus súditos mandaram a arca para fora da sua terra. Deus não pediu nada em troca para falar a Eliseu as palavras que o rei da Síria falava no seu quarto, Deus não exigiu nada para derrubar Baal diante da arca da sua aliança.
ESPERAR EM DEUS É ANSIAR POR ELE
Ansiar é desejar com veemência. É esse o sentimento do salmista quando escreve: “Como a corça anseia pelas águas, assim a minha alma suspira por Ti oh Deus” (Sl 42:1). É nesse momento onde nossa alma fica desesperada pela presença de Deus quando não há mais solução (Jl 1:19,20). Esse é o sentimento do apóstolo Paulo quando diz: Porém em nada considero a minha vida preciosa para mim mesmo contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar do evangelho da graça de Deus (At. 20:24)
Não esquente por demais a cabeça, Deus está nesse exato momento trabalhando por você!

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Crentes descrentes

Crentes descrentes
(Hebreus 3:12) - Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo.
Um dos discípulos de Jesus chamado Tomé foi muito incrédulo diante da ressurreição do Senhor. Ele era um tipíco crente descrente. Afirmava crer na palavra de Jesus, mas no fundo não cria no que Jesus dizia. Em outra ocasião, Jesus ao caminhar com dois discípulos seus, lhes disse: “Tardios de coração para crer em tudo o que os profetas disseram”. Jesus vivia cercado de pessoas que afirmavam ser crentes, mas na realidade eram descrentes. Toda a bíblia relata a presença de crentes descrentes. Vejamos algumas características deles:
·         Zombadores
 (Gênesis 19:14) - Então saiu Ló, e falou a seus genros, aos que haviam de tomar as suas filhas, e disse: Levantai-vos, saí deste lugar, porque o SENHOR há de destruir a cidade. Foi tido porém por zombador aos olhos de seus genros.
·         Invejosos
(Gênesis 26:14) - E tinha possessão de ovelhas, e possessão de vacas, e muita gente de serviço, de maneira que os filisteus o invejavam.
·         Malevolentes
(Gênesis 37:4) - Vendo, pois, seus irmãos que seu pai o amava mais do que a todos eles, odiaram-no, e não podiam falar com ele pacificamente.
·         Medrosos
(Números 13:31) - Porém, os homens que com ele subiram disseram: Não poderemos subir contra aquele povo, porque é mais forte do que nós.
·         Presunçosos
(Números 16:3) - E se congregaram contra Moisés e contra Arão, e lhes disseram: Basta-vos, pois que toda a congregação é santa, todos são santos, e o SENHOR está no meio deles; por que, pois, vos elevais sobre a congregação do SENHOR?
Poderia falar muito mais características, mas o que o Senhor Jesus disse a Tomé é bom sempre relembrar: “Não sejas incrédulo, mas crente; Bem-aventurados aqueles que não viram e creram” (Jo 20:27,29). Que tipo de Crente você e eu somos? Crentes de fato ou crentes descrentes?

terça-feira, 5 de julho de 2011

O Deus que trabalha por você

(Isaías 64:4) - Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que trabalha para aquele que nele espera.
     I.        Deus é o único que trabalha pelos seus:
No Éden quando Adão e Eva pecaram, Deus estava lá trabalhando por eles, providenciando uma vestimenta para eles. Quando Abimeleque quis ter relações sexuais com Sara, Deus interveio em favor de Abraão. Ló ao sair de Sodoma, demorava-se naquele lugar, e sendo Deus misericordioso para com ele não permitiu que Sodoma e Gomorra e as demais cidades fossem destruídas até que Ló saísse... E Deus ainda poupou uma das cidades da campina que era pecadora como as demais por causa de Ló, chamada de Zoar. Quando os filisteus entulharam os poços de Isaque, Deus lhe deu naquela terra uma colheita sobrenatural. Mesmo na prisão, José achou graça aos olhos do Pai porque Deus estava trabalhando a seu favor... Quando Elias enfrentou os 400 profetas de Aserá e os 450 profetas de Baal, não houve respostas desses pseudo-deuses, porque o Pai trabalhava por Elias...
    II.        O trabalho de Deus a nosso favor pode ser:
Ouvido è A pregação inicialmente era oral, ou seja transmitida verbalmente. A lei de Moisés era transmitida oralmente de pai para filho. Então  ouvia-se muito da obra de Deus.
Percebido è Seja através da natureza, dos milagres que Deus faz em nossa própria vida ou na vida de outros. Sabemos quando Deus está operando em algum lugar, o Espírito Santo nos mostra.
Visto è Quando Jesus andou aqui na terra, ele fazia sinais visíveis. Os apóstolos fizeram sinais visíveis. E nós somos hoje o evangelho que pode ser visto a olho nu pelas pessoas ao nosso redor.
  III.        O trabalho de Deus exige:
Tempo è É uma lei que ele próprio estabeleceu. Embora ele seja o Eterno, ele trabalha na dimensão temporal. Veja por exemplo que quando uma pessoa se converte, leva “tempo” para abandonar “maus hábitos e costumes da velha vida”
Sensibilidade è Ouvido não ouvir, olho não ver é porque falta sensibilidade.
Espera è A expressão “espera” é encontrada na bíblia por 34 vezes. Dentre momentos que exigem espera estão:
·         O devocional com Deus
·         Resposta de Deus

  IV.        A obra de Deus é:
Eterna è Antigüidade aponta para algo eterno. O que Jesus fez na cruz é tão eficaz hoje quanto foi no passado e será tão eficaz na eternidade quanto hoje.
Especialmente para aquele que espera è Quem espera no SENHOR é como águia, vai subindo, subindo até alcançar níveis nunca antes vistos. Os ímpios não querem esperar o mover da mão de Deus, mas os crentes esperam, não se precipitam, porque sabem que precipitação é pecado.
Gratuita è Deus só quer que esperemos e nada mais. Os demônios podem até “trabalhar” por seus seguidores, mas sempre exigem algum retorno, troca. A única coisa que Deus quer é que sejamos pacientes, e ele é tão misericordioso conosco que nos deu a paciência junto com o Espírito Santo como sendo fruto da moradia do Espírito Santo em nós.
Querido, o nosso Deus trabalha por nós. Jesus disse: “Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também” mas esse trabalho é a nosso favor! Aleluia! Como somos abençoados por Deus!

sexta-feira, 1 de julho de 2011

O conselho de Deus é para você!

O conselho de Deus
(Jeremias 23:18) - Porque, quem esteve no conselho do SENHOR, e viu, e ouviu a sua palavra? Quem esteve atento à sua palavra, e ouviu?
Contexto Histórico:
Jeremias viveu em uma época de apostasia nacional, e nesse período houve vários falsos profetas dentre eles está Hananias. Esses falsos profetas anunciavam palavras de “paz” para o povo rebelde contra Deus, ao contrário deles, Jeremias anunciava a destruição da cidade de Jerusalém pelos caldeus. Esses falsos profetas eram contaminados, errantes, adúlteros, por isso nunca estiveram no “conselho” de Deus. Jeremias então começa a advertir dizendo: “Não ouçam os falsos profetas, pois estão lhes ensinando vaidade, porque quem esteve no conselho do SENHOR e viu e ouviu a sua palavra? Quem esteve atento à sua palavra e ouviu?” (Jr. 23:16,18). O fato claro de que eles nunca estiveram no “conselho” de Deus está no verso 22: “Mas, se estivessem estado no meu conselho, então teriam feito o meu povo ouvir as minhas palavras, e o teriam feito voltar do seu mau caminho, e da maldade das suas ações.”. Todos os verbos do texto estão no passado, indicando que nunca estiveram e não estavam ainda... Mas o que seria o “Conselho” de Deus? O “Conselho” de Deus é:
1.    Um lugar de revelação na Palavra
Jeremias foi o único profeta a mencionar a quantidade de tempo que o cativeiro na babilônia duraria: “Acontecerá, porém, que, quando se cumprirem os setenta anos, visitarei o rei de Babilônia, e esta nação, diz o SENHOR, castigando a sua iniqüidade, e a da terra dos caldeus; farei deles ruínas perpétuas”. (Jr. 25:12) porque foi o único homem da sua época que esteve no conselho do Senhor, havia também a profetisa Hulda que esteve no conselho do Senhor. Quando nós estamos no conselho do Senhor, recebemos compreensão da Palavra escrita e revelação de novos fatos que estavam lá, mas que não percebíamos. Por isso, o profeta Daniel, contemporâneo de Ezequiel, foi o único da Côrte Babilônica a entender que o cativeiro para os judeus havia acabado e era tempo de retornar para Israel: “No primeiro ano do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que o número dos anos, de que falara o SENHOR ao profeta Jeremias, em que haviam de cumprir-se as desolações de Jerusalém, era de setenta anos.” (Dn 9:2). Por isso o Senhor Jesus disse que o Pai ocultou a compreensão da Palavra aos sábios e entendidos pelo mundo e as revelou aos pequeninos, porque os pequeninos são aqueles que participam do “conselho” de Deus (Mt 11:25) e tem por isso revelação na Palavra. Todos os profetas do AT. anunciavam coisas inéditas, por exemplo: Isaías profetizou a vinda de Babilônia 100 anos antes de tal fato acontecer, profetizou o reinado de Ciro 200 anos antes... Moisés escreveu o Gênesis, cujo relato termina 300 anos antes de seu nascimento...
2.    Um lugar de arrependimento
Arrependimento é ouvir as palavras de Deus e voltar do seu mau caminho; O arrependimento vem depois de se ouvir a palavra, nunca antes. Foi isso o que aconteceu em Pentecoste: “E, ouvindo eles isto (A pregação de Pedro), compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, homens irmãos?” (At. 2:37); Isso acontecerá novamente no aparecimento de Jesus para os judeus :“Mas sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim, a quem traspassaram; e pranteá-lo-ão sobre ele, como quem pranteia pelo filho unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito.” (Zc 12:10), todo choro genuíno é sinal de arrependimento como viu o profeta Joel: “Chorem os sacerdotes, ministros do SENHOR, entre o alpendre e o altar, e digam: Poupa a teu povo, ó SENHOR, e não entregues a tua herança ao opróbrio, para que os gentios o dominem; porque diriam entre os povos: Onde está o seu Deus?” (Jl 2:17) .
O arrependimento se constitui a base de toda pregação genuína. Foi isso o que João Batista pregava: “Apareceu João batizando no deserto, e pregando o batismo de arrependimento, para remissão dos pecados.” (Mc 1:4), Jesus pregava dizendo: “O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho.” (Mc 1:15), o que os apóstolos pregavam: “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;” (At. 2:38) e foi isso que o Senhor Jesus mandou-nos pregar que em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém. (Lc 24:47)
Na bíblia há 21 referências sobre o arrependimento. Vejamos alguns do benefício do arrependimento:
·         Alegria dos anjos quando um pecador se torna arrependido – Lc 15:7
·         Vida – At. 11:18
·         Salvação – 2 Co 7:10
·         Conhecimento da verdade – 2 Tm 2:25
O conselho de Deus está com vagas, você quer participar? É nesse lugar que “o Espírito revela as profundezas de Deus, coisas que olhos não viram e ouvidos não ouviram, nem subiram ao coração do homem, mas que é revelado aos cristãos.

O movimento dos anjos

Tema: O movimento dos anjos

Introdução: O mundo espiritual vive em constante movimento desde o início da criação e vem se movimentado até agora (Gn 1:2). Tudo o que é vivo se move, pois o movimento é sinal de vida. Como o mundo espiritual, assim também os anjos se movimentam:
1.    Rapidamente
Eles são tão ligeiros como o fogo que incendeia uma floresta: “ Faz dos ventos seus mensageiros, dos seus ministros labaredas de fogo” (Sl 104:4). O anjo Gabriel veio voando rapidamente para tocar o profeta Daniel na sua devocional: “Estando eu ainda falando na oração, o homem Gabriel que eu tinha visto na visão no princípio veio voando rapidamente e tocou-me na à hora do sacrifício da tarde” (Dn 10:21).
Tanto os anjos quantos os demônios se locomovem rapidamente... A agilidade no mundo espiritual é impressionante, os Querubins que o Profeta Ezequiel viu voavam rapidamente de um lado para outro como relâmpagos: “ E os animais corriam e tornavam à semelhança de relâmpagos” (Ez 1:14).
Nesse momento, existem anjos e demônios se movimentando na esfera invisível... Uns a seu favor e outros contra você...
2.    Principalmente na devocional
Mas isso não significa que eles fiquem inativos quando você encerra sua devocional porque dois anjos e o SENHOR vieram visitar Abraão quando este descansava: “ Depois apareceu-lhe o SENHOR nos carvalhais de Manre, estando ele assentado à porta da tenda, quando tinha aquecido o dia e levantou os seus olhos e olhou e eis três homens estavam em pé junto a ele.” (Gn 18:1,2a), os anjos também apareceram a Ló quando este estava assentado junto à porta de Sodoma: “ E vieram os dois anjos à Sodoma à tarde e estava Ló assentado a porta de Sodoma;” (Gn 19:1a) e quando Jacó adormecia: “Partiu Jacó de Berseba e foi-se a Harã e chegou a um lugar onde passou a noite porque já o sol era posto; e tomou uma das pedras daquele lugar e a pôs por sua cabeceira e deitou-se naquele lugar e sonhou: e eis uma escada era posta na terra cujo topo tocava os céus e eis que os anjos de Deus subiam e desciam por ela” (Gn 28:10-12).
Os anjos podem vir ocasionalmente, como podem também vir em momentos de crises: “ E ali esteve no deserto quarenta dias tantado por Satanás. E vivia entre as feras,mas os anjos o serviam.(Mc 1:13), Elias também esteve no deserto, mas também foi servido por anjos: “ E deitou-se e dormiu debaixo de um zimbro e eis que um anjo o tocou e disse: Levanta-te e come” ( I Rs 19:5).
Existem também anjos que estão ao nosso redor em todo o tempo: “Eis que eu envio um anjo adiante de ti para que te guarde neste caminho e te leve ao lugar que te tenho aparelhado.” (Êx 23:20), como diz o Salmo 34:7: “ o anjo do SENHOR acampa-se ao redor daqueles que o temem e os livra”.
3.    É visto em:
Socorro para os homens: “ E ao amanhecer ao anjos apertaram a Ló dizendo: Levanta-te, toma tua mulher, tuas duas filhas que aqui estão para que não pereçais na injustiça dessa cidade, ele porém demorava-se e aqueles homens lhe pegaram pela mão e pela mão de sua mulher e pela mão de suas filhas, sendo-lhe o SENHOR misericordioso e tiraram-no e puseram-no fora da cidade.  (Gn 19:15,16). Minstração para homens: “ E a qual dos anjos jamais disse: Assenta-te a minha destra até que ponha a teus inimigos por escabelo de teus pés, não são porventura todos eles espíritos ministradores enviados a favor dos que hão de herdar a salvação?” (Hb 1:13,14).
Em um dos meus devocionais com o Senhor, ele me disse: “Filho, enquanto estás comigo no devocional, já determinei que anjos fossem trabalhar em teu favor, mudando ambientes e situações, pois EU SOU o Deus que trabalha por aquele que em mim espera”. Verdadeiramente, o Senhor é o Deus que trabalha por aquele que nele espera... E em outro devocional, o Senhor me mostrou esses anjos... Velozes...
Conclusão: Portanto, querido, você que está aí sem saber o que fazer... vá adorar o Criador, Redentor e Deus Bendito, pois ele trabalha por aquele que nele espera... “ Desde antigüidade não se viu nem com os ouvidos se percebeu, Deus além de Ti que trabalha por aquele que nele espera” (Is 64:4)