terça-feira, 13 de março de 2012

Saindo da teoria, vivendo a prática.

Jr 48:10 – “Maldito aquele que fizer a obra do Senhor fraudulentamente”

Nos dias de hoje, o “ser crente” está banalizado devido às atitudes dos próprios crentes, que se dizem “crentes”, mas ainda estão no mundo e muitas vezes nem sabem disso.

Isso acontece porque nós sabemos a teoria, mas não temos a prática.
- dízimo,
-honrar pai e mãe,
-obedecer
-adorar a em espírito e em verdade
- não mentir
-dar testemunho.

Todos sabem que dízimo é princípio, que se honrarmos seremos abençoados, que devemos obedecer, que o Senhor procura verdadeiros adoradores, que não devemos mentir, que nossa vida deve ser testemunho. Mas poucos fazem.

Mais do que a teoria, nós também sabemos das promessas e que Deus as cumpre, mas todos olhamos para as dificuldades e para as coisas que teremos de abrir mão. Por isso fazemos a obra relaxadamente, porque não queremos pagar o preço.

Nós não queremos nos afastar de Deus, nem desistir, e principalmente, não queremos perder as bênçãos, mas nós também não queremos ter que nos sacrificar e nem deixar a nossa vontade pela vontade de Deus. É por isso que nos tornamos como, ou piores que os ímpios; é por isso que ninguém mais vê a diferença entre o povo de Deus e as pessoas do mundo, porque assim como elas nós queremos tudo, tanto as bênçãos de Deus como a comodidade e alguns prazeres do mundo.

Mas Deus nos chama para a prática de tudo o que Ele já nos ensinou e ainda vai ensinar. Assim como Jesus e seus discípulos praticaram sem olharem para as circunstâncias.

Para nós fazermos a diferença e sermos crentes de verdade, temos que decidir servir ao Senhor sabendo da teoria e vivendo a prática.

Mt 5: 14-16.

segunda-feira, 12 de março de 2012

A RESTAURAÇÃO DE DEUS EM NÓS

A RESTAURAÇÃO DE DEUS EM NÓS

“Por isso não desfalecemos; mas ainda que o nosso homem exterior se esteja consumindo, o interior, contudo, se renova de dia em dia. Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas sim nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, enquanto as que se não vêem são eternas”. (2 Co 4:16,18)

Esse texto apresenta verdades eternas. Essas verdades são comuns a todos nós e essas verdades são que:

I.             O nosso homem exterior se corrompe;

 Adão se corrompeu num belo Jardim (Gn 3)
Jacó se corrompeu com mentiras (Gn 27-28)
Israel se corrompeu com um bezerro (Ex 32)
Sansão se corrompeu com Dalila (Jz 16)
Davi se corrompeu com Bate-Seba (2 Sm 11)
Simão após uma noite de trabalho não teve sucesso (Lc 5)
Simão negou conhecer a Jesus (Mc 14:71)

O Senhor diz que nossa imaginação é má continuamente (Gn 6:5), não há quem faça o bem (Sl 14:1). Nossa tendência é pecaminosa, já nascemos envoltos e presos no pecado (Sl 51:5). Estavámos então destinados ao inferno (Sl 9:17). Não havia redenção para o Homem!!!!

MAS DEUS PROVIDENCIOU A NOSSA REDENÇÃO:JESUS (1 Co 1:30) por isso hoje nós podemos dizer:

II.           O nosso homem interior se renova:

Adão recebeu a promessa da redenção (Gn 3:15)
Jacó se tornou Israel (Príncipe de Deus – Gn 32:28)
Israel se tornou o povo de Deus (Ex 19:5,6)
Sansão recebeu novas forças vindas de Deus (Jz 16:22)
Davi recebeu o perdão de Deus (2 Sm 12:13)
Simão recebeu provisão (Lc 5:6)
Simão foi chamado de novo por Jesus (Jo 21:19)

Quando o nosso homem exterior se corrompe, o diabo vem furioso contra nós, pois encontra legalidades. Ele vem contra nós como inundação. Ele nos vê como ovelhas desprotegidas, feridas, mal-tratadas, indefesas, vulneráveis... Mas então o Espírito do Senhor arvora contra o inimigo a sua bandeira (O próprio Espírito – Ex 17:15), podemos nos tornar ovelhas feridas, mas o Senhor é o nosso Pastor e cuida de nós, O Senhor é o nosso Escudo. (Gn 15:1; Sl 23:1; Is 40:11; 59:19)

O Espírito Santo veio para restaurar os contritos de coração (Is 61:1), de modo que os que nele confiam renovarão suas forças (Is 40:31). Existe um dia marcado para a restauração de todas as coisas (At 3:21), e o dia da tua restauração é hoje. Vamos invocar o nome do Senhor Jesus e salvação, renovação, restauração virá até nós (Rm 10:13).


sexta-feira, 2 de março de 2012

Preservando a Primogenitura

A primogenitura era reconhecida pela lei de Deus. O primogênito tinha direito a porção dobrada de tudo o que o pai tinha. Geralmente quando se recebia a primogenitura, recebia-se também uma benção especial, significativa.

Porção dobrada e uma bênção especial foram duas coisas que Esaú desprezou e mesmo que quisesse recuperar depois não pôde. (Gênesis 25:32,34; Hebreus 12:16).

Esaú desprezou um futuro por algo momentâneo. Se analisarmos o contexto vamos perceber algumas coisas:

1. Esaú retrocedeu em sua palavra;

Ao abrir mão da primogenitura, ele estava declarando que não queria nenhuma benção também. No entanto, momentos depois, ele quis matar Jacó, quando este recebeu a benção que Esaú menosprezara.

2. Nós desprezamos nossa primogenitura quando ouvimos mais a nossa carne do que o nosso espírito;


Tanto Isaque e Esaú erraram nesse ponto, pois quando Jacó chegou. Isaque disse: "A voz é a voz e Jacó, mas as mãos são as mãos de Esaú". E Esaú errou pois trocou a benção definitiva por causa de um cansaço.

Diante disto, pelo que temos trocado nossa primogenitura? 

Adão trocou sua "primogenitura" (relacionamento com Deus) por seu relacionamento com Eva;
Abrão trocou sua "primogenitura"(andar em fé) por anuir ao conselho de Sarai (ter filho com Agar)
Rúben trocou sua primogenitura ao se deitar com Bila (Gênesis 25:22; 1 º Crônicas 5:1);

Uma pergunta extremamente importante é "Vale a pena, trocar minha primogenitura?"

Não troque sua primogenitura por um prato de lentilhas, valorize seus princípios"