domingo, 16 de setembro de 2012

Os dois tesouros - Mateus 6:19-34




No sermão da montanha, Jesus relaciona dois tipos de tesouro. O tesouro terreno e o tesouro celestial. Eles tipificam dois estilos de vida, dois interesses distintos.

          I.            O tesouro celestial

      Está oculto em Deus e somente bons olhos podem vê-lo. Olhos que receberam de Deus o colírio para enxergar corretamente. Olhos que são puros. (Mateus 6:22-23)
Deus é puro de Olhos e não tolera de modo algum o mal (Habacuque 1:13), aqueles que querem ver o tesouro celestial precisam ter uma visão perfeita, em outras palavras, precisam ter um coração puro (Mateus 5:8), precisam receber de Deus o Seu Colírio (Apocalipse 3:18), que é a revelação da Palavra (Efésios 1:16-22). Precisam estar fitos somente em Jesus o tempo todo (Hebreus 12:1-2) com os pensamentos voltados o tempo todo para o Céu onde Cristo nossa vida está (Colossenses 3:1-3).
Olhos puros são olhos que tem revelação da Palavra. Olhos bons são luz para o corpo, e a Palavra é luz para o Meu caminho (Salmo 119:105).

      Fala de vida no Espírito, vida na dependência de Deus como os lírios do campo e as aves do céu, uma vida que passa apenas pela porta estreita.

Em toda bíblia há dois estilos de vida, o estilo que recebe o tesouro celestial é o estilo de vida no Espírito, estilo de confiança e dependência de Deus. Que abre mão da própria capacidade, simbolizado por Abel, Isaque, Abraão, Moisés, Elias, Neemias, Davi, Ester, Daniel, Jó. É uma vida eterna, quem semeia para o Espírito, colhe vida eterna do Espírito, porque quem tem a mentalidade do Espírito colhe vida e paz. (Romanos 8:5-6; Gálatas 6:8), uma vida não perecível (1 Coríntios 15:50-52).

  Prioriza somente a vontade de Deus e não a própria busca por felicidade. Caracterizado por frutos e não manifestações, marcado pela obediência.

É naquele momento que nossos frutos são dignos de arrependimento (Mateus 3:8), é naquele momento que entendemos que todas as coisas perto do Conhecimento de Cristo são apenas esterco (Filipenses 3:8), entendemos que o propósito divino é maior que a proposta do mundo. Não somos obreiros fraudulentos, mas filhos genuínos (Mateus 7:15-23). Onde optamos pela vontade de Deus mesmo em detrimento a nossa.

        II.            O tesouro terreno

 Está preso a coisas terrenas tais como comida, bebida, roupas  e é o único objeto de busca dos mais miseráveis de todos os homens.

Nossa vida não se limita a coisas debaixo do sol. Não se limita apenas a comer, beber e divertir como os israelitas fizeram no deserto do Sinai. (Êxodo 32:4 e Eclesiastes 1:3).  Nossa vida não se limita a ter fama, andar na moda, ter luxo, essas coisas não são de modo algum pecaminosas, porém não devem constituir-se o único foco da nossa existência, nós fomos criados para o louvor da glória de Deus. (Isaías 43:21). Paulo disse: “Se esperamos em Cristo apenas aqui na terra somos os piores homens que o Universo viu” (1 Coríntios 15:19).

 Fala de vida na própria capacidade e esforço como os esforços feitos pelos hipócritas ao jejuarem, orarem nas praças. Caracterizado por teatro e não obras. Uma vida que passa pela porta larga. (Vida na Alma)

Maldito é o homem que confia na própria capacidade (Jeremias 17:5), Porque não é por força e nem por violência, mas pelo Espírito Santo que vencemos (Zacarias 4:6). Os que têm este estilo de vida são pagãos e hipócritas, a palavra hipócrita refere-se aos atores de teatro. Eles vivem uma encenação. Eles buscam reconhecimento humano. Eles querem promover o próprio Nome, ao invés de promover o Bendito Nome de Deus. Esse estilo de vida é Também conhecido como carnal e almático simbolizado por Caim, Ismael, Ló, Janes e Jambres, Datã, Abirão, Coré, Dalila, Jezabel, Saul, Tobias, Gésem, Sambalate, Nabucodonosor. O conselho de Deus para quem vive na alma encontra-se em Provérbios 3:5 que diz: ‘Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie na sua própria capacidade e entendimento’. E ainda Provérbios 3:7 que diz: ‘Não fique cheio de Si, pensando que sua própria sabedoria  é a razão do Seu sucesso’.

Prioriza o ser visto pelos homens, necessita ser aprovado por homens, preferem mais a aprovação dos homens que a aprovação de Deus. Caracterizado por uma vida frágil, suscetível a todo engano.

Os judeus do tempo de Jesus eram assim (João 12:42-43), são pessoas que querem agradar a tudo e a todos, que se esquecem que  se aceitamos o testemunho dos homens, o testemunho de Deus é maior (1 João 5:9), que se agradamos os homens, desagradamos a Cristo (Gálatas 1:10).

      III.            Como sair do tesouro terreno e entrar no Celestial?

   Passando pela porta estreita que é Jesus (João 10:9)

Somente Jesus é a porta estreita que conduz a vida sendo ele a vida (João 14:6). Ninguém é filho de Deus se não tiver Jesus em Si (João 1:11-13). Quem tem o Filho tem a vida (1 João 5:12) quem não tem está debaixo da Ira de Deus (João 3:36);

Meditando na Bíblia

A bíblia tem 66 livros, aproximadamente 40 autores, escrita em um período de 1600 anos, em três continentes (Ásia, Europa e áfrica) em três idiomas (hebraico, aramaico e Grego), mas tem um único tema: Jesus. Ele disse: Examinem as Escrituras, elas testificam de mim (João 5:39). Seus autores tiveram diversas profissões, mas um único foco.

 Orando

Os três conselhos de Billy Graham são: Ore, Ore, Ore. Paulo recomenda: Orem sem cessar (1 Tessalonicenses 5:17), orem em todo no Espírito (Efésios 6:18), Judas, irmão de Jesus recomenda: ‘Edifiquem-se na sua fé santíssima orando no Espírito Santo (Judas 20), Jesus contou uma ilustração sobre o DEVER DE ORAR SEMPRE E NÃO ESMORECER em Lucas 18:1

Orar é ter a oportunidade de trazer o céu à terra.

Qual destes dois estilos de vida temos adotado? Que tesouro temos buscado? Jesus disse: Quem busca encontra (Mateus 7:7-8), por isso ele disse: Busquem o Reino de Deus (Mateus 6:33), porque então teremos vida e Paz (Romanos 8:6).

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Singularidade da Bíblia (Resumo)


A Bíblia é Única:

O dicionário define “único” como: “Que é um só; de cuja espécie não existe outro; exclusivo, excepcional; a que nada é comparável; superior a todos os demais”.

A Bíblia é única na sua coerência:

Foi escrita durante um período de mais de 1500 anos

Foi escrita durante mais de 4 gerações.

Escrita por mais de 40 autores, envolvidos nas mais diferentes atividades, inclusive reis, camponeses, filósofos, pescadores, poetas, estadistas, estudiosos, etc.

à Moisés, um líder político que estudou nas universidades do Egito
à Pedro, um pescador
à Amós, um boiadeiro
à Josué, um general
à Neemias, um copeiro
à Daniel, um primeiro-ministro
à Lucas, um médico
à Salomão, um rei
à Mateus, um coletor de impostos
à Paulo, um rabino

Escrita em diferentes lugares: Moisés no deserto; Jeremias numa masmorra; Daniel numa colina e num palácio; Paulo dentro de uma prisão; Lucas enquanto viajava; João na ilha de Patmos; Outros nos rigores de uma campanha militar.

Escrita em diferentes condições: Davi em tempos de guerra; Salomão em tempos de paz.

Escrita sob diferentes circunstâncias: Alguns escreveram enquanto experimentavam o auge da alegria, enquanto outros escreveram numa profunda tristeza e desespero.

Escrita em três continentes: Ásia, África e Europa.

Escrita em três idiomas: Hebraico, Aramaico e Grego.

A Bíblia trata de centenas de temas controversos (que pode gerar opiniões divergentes quando mencionado ou discutido), porém os autores bíblicos falaram com harmonia e coerência, desde Gênesis até Apocalipse. Há uma única história que vai se revelando: “A redenção do homem por parte de Deus”.

Única em Circulação:

A Bíblia é o livro mais lido e publicado (inclusive em outras línguas) em todo o mundo. Em 1932 foram publicadas 1.330.213.815 Bíblias, nenhum livro em toda a história alcançou tal número. Isso não prova que a Bíblia seja a palavra de Deus, mas mostra que em termos de circulação ela é única.

Única em Tradução:

A Bíblia é o livro mais traduzido, retraduzido e parafraseado da história. Até 1966 a Bíblia completa havia sido traduzida em 1.280 línguas. Em 1950 e 1960, 3 mil tradutores estiveram trabalhando para traduzi-la. A Septuaginta (versão grega do Antigo Testamento) foi a primeira tradução de um grande livro a ser feito.

Única em Sobrevivência:

Sobrevivência através dos tempos: Ser escrita em material perecível, tendo que ser copiada e recopiada durante centenas de anos, antes da invenção da imprensa, não prejudicou seu estilo, exatidão ou existência. Comparada com outros escritos antigos, a Bíblia possui mais provas em termos de manuscritos do que, juntos, possuem os dez textos de literatura clássica com maior número de manuscritos. Os judeus a preservaram como nenhum outro manuscrito foi jamais preservado. Com a massora eles verificavam atentamente cada letra, sílaba, parágrafo e palavra. Dentro de sua cultura, eles dispunham de grupos de homens com funções específicas, cuja única responsabilidade era preservar e transmitir esses documentos com uma fidelidade praticamente perfeita, esses homens eram chamados escribas, copistas e massoretas. Quem alguma vez contou as letras, sílabas e palavras dos textos de Platão, Aristóteles, Cícero ou Sêneca?

Sobrevivência em meio a perseguição: Como nenhum outro livro a Bíblia tem sido o livro mais perseguido de toda a história. Desde o tempos os imperadores romanos até o atual comunismo. Muitos tentaram profetizar a sua extinção, e estes morreram e ela permaneceu intacta até hoje. Muitos perderam as suas vidas para protegê-la, por simplesmente tê-la em suas casas. Milhares já foram queimadas em praças públicas, porém ela sobreviveu a tudo isto.

Sobrevivência em meio às críticas: Durante 18 séculos, incrédulos tem refutado e criticado esse livro, e, no entanto ele resistiu a tudo. Uma dessas criticas pesava sobre o Pentateuco (os 5 primeiros livros de Moisés). Afirmava que Moisés não poderia tê-lo escrito pois não havia na época escrita alguma. Mas então descobriram o “obelisco negro” de data pré-mosaica (3 séculos antes de Moisés) onde haviam letras cuneiformes e leis de Amurabe. Isto calou a boca dos críticos. Outro exemplo era a respeito dos Heteus. Diziam que este povo eram um mito e que nunca existiram, hoje a arqueologia tem comprovado que o povo Heteu existiu como a Bíblia relata. Apesar de todo o esforço dos críticos em tentar tirar os créditos da Bíblia todo o esforço tem sido em vão. Muitos destes críticos quando buscam seriamente as respostas chegam a uma conclusão: A Bíblia tinha razão!

Única nos ensinos:

Profecia: A Bíblia é o único livro que contém profecias específicas e detalhistas a cerca de nações, povos, pessoas e cena mundial. Ela foi capaz de não somente profetizar acontecimentos a respeito de Israel, mas também das nações da época. E todas as suas profecias se cumpriram fielmente.

História: Os livros de I Samuel até II Crônicas e a tabela das nações de Gênesis 10, são relatos históricos surpreendentemente exatos. Fonte de consulta de vários historiadores no meio secular.

As pessoas descritas: A Bíblia é um livro que não poderia ser escrito simplesmente por vontade humana, pois ela descreve em detalhes as características de seus personagens, não importando se estas características fossem boas ou ruins. Por que alguém com intuito de escrever um livro santo colocaria os piores defeitos já vistos em seus personagens? Pois estes personagens certamente, seriam alvo de imitação. E por incrível que pareça com todos esses defeitos tais personagens eram chamados de santos, homens segundo o coração de Deus, homens que o mundo não era digno de tê-los.

Única na influência sobre a literatura:

Se todas as Bíblia do mundo fossem destruídas seria possível restaurá-la a partir das citações, resumos, biografias e mesmo livros seculares. São dicionários bíblicos, enciclopédias bíblicas, léxicos bíblicos, Atlas bíblicos, livros de geografia bíblica, educação religiosa, cânticos, hinos, missões, línguas bíblicas, história da igreja, biografia religiosa, devocionários, comentários bíblicos, filosofia da religião, provas do cristianismo, apologética, e assim por diante. Certamente é a fonte de maior influência bibliográfica já procurada em toda a história da literatura.

Conclusão:

Tudo que foi dito acima, não prova que a Bíblia é a palavra de Deus, mas prova que ela é o maior livro da história da humanidade, pois nenhum livro possui tamanhas credenciais.

A Bíblia foi o primeiro livro religioso a ser levado para o espaço sideral (ela foi em forma de micro filme) é o primeiro livro lido que descreve a origem da Terra.

É também um dos livros mais caros (senão o mais caro). A Bíblia Vulgata Latina de Gutenberg custa mais de 100.000 dólares. Os russos venderam o Códice Sinaítico (uma antiga cópia da Bíblia) à Inglaterra por 510.000 dólares.

E, finalmente, o mais longo telegrama do mundo foi o Novo Testamento na Edição Revista, enviado de Nova Iorque a Chicago, duas cidades norte-americanas.

Extraído do livro "Evidências que Exigem um Veredicto I", de Josh Mcdowell. Editora Candeia
Fonte: http://www.dc.golgota.org/singularidade.html

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

TUDO ESTÁ PRONTO



‘Venham, benditos de meu Pai! Recebam como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo.' - Mateus 25:34b

‘Venham, pois tudo já está pronto’. - Lucas 14:17b

Tudo está pronto! Essa é a maior realidade espiritual que temos. Tudo foi preparado por Deus para nós desde a criação do mundo. (Mt. 25:34; Lc. 14:17b).

Deus nos deu Em Cristo tudo para uma vida abundante (Jo. 10:10). Mas para que essa realidade se materialize em nós é preciso que entendamos certas coisas.

I. Não é por força nem por violência – Zc. 4:6

Violência fala de ‘Coação, opressão, tirania’. Para entrarmos nessa dimensão de fé onde está tudo preparado para nós é necessário uma escolha. Em Lc. 17:16 em diante, Jesus mostra que estar ou não na festa é uma questão de escolha própria. Deus nos coage, não exerce tirania. Deus está desde o Antigo Testamento dando-nos o convite para essa realidade e no Apocalipse, o Senhor encerra seu convite as igrejas: ‘Estou a porta e bato se alguém abrir a porta entrarei’... (Ap. 3:20).

Deus não coage, não exerce tirania, Deus faz convites. Deus convidou a todos mas nem todos o escolheram. E nós temos escolhido estar nessa dimensão de fé? Para entrarmos nessa dimensão precisamos entender o funcionamento da fé.

II. O funcionamento na fé

Todos nós que fomos regenerados por Deus e como tal nos tornamos bebês espirituais necessitados de leite para crescimento da salvação. Deus sendo nosso Pai providenciou ferramentas para nossa edificação pessoal. Uma dessas ferramentas é o dom de línguas para edificação pessoal da qual I Co. 14:4 fala.
O Novo Testamento ensina quatro manifestações desse dom de línguas:

a. Línguas para sinal aos incrédulos – At. 2
b. Línguas que se estendem aos gemidos intercessórios do Espírito – Rm. 8:26
c. Línguas com interpretação para edificação da igreja – I Co. 14:5b
d. Línguas para edificação pessoal – Mc. 16:17; I Co. 14:2, 4,14; Jd. 20

Sobre as três primeiras manifestações nós não temos controle. Temos controle somente sobre a última manifestação desse dom. A última manifestação desse dom destina-se a todos os crentes, pois Jesus prometeu-o a todo o que crê. E quanto mais nós oramos no Espírito (orando em línguas) mais o plano redentor e abundante de Deus se cumpre em nós. Esse dom não é necessariamente sensorial ou sensitivo, ele acontece pela fé em Cristo que é o sumo-sacerdote dos bens já realizados como ensina Hb. 9:11.

A fé acontece no nosso coração e se manifesta na nossa boca. A Palavra tem que estar no nosso coração e 
na nossa boca – Rm. 10:8-10. E esse estar na boca passa pela confissão.

III. Confiissão da Palavra – 2 Co. 4:13; Pv. 18:20,21

Deus criou todas as coisas mediante a Palavra (Sl. 33:6,9). Nós a semelhança dele também criamos coisas em nossa vida com a nossa confissão. Confessar é concordar com Deus. No Novo Testamento, Jesus é conhecido como o apóstolo da nossa confissão (Hb. 3:1), Jesus diz amém para todas as promessas de Deus para nós (2 Co. 1:20). Jesus é o amém de Deus para nós (Ap. 3:14). A palavra tem que estar na nossa boca, temos que confessá-la diariamente sobre todas as coisas. Temos feito isso?

É interessante notar que Tiago 3 fala da língua como um membro que domina todo o corpo. E quando Deus nos batiza com o Espírito Santo ele nos dá o dom de línguas e Deus quer que Sua Palavra esteja na nossa língua.

Alinha sua confissão de fé com a Palavra de Deus orando em todo o tempo no Espírito, confessando a Palavra (O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras jamais passarão disse Jesus – Mt. 24:35) e tudo o que Deus tem passa a ser efetivamente seu (Rm. 8:17; I Co. 3:21-23).

No exercício da nossa fé, tudo está pronto desde a criação. Tudo está pronto e pode ser acessado pela fé! Tudo o que é dele é meu.

'Eu sou do meu amado e Ele (com tudo o que ele é e tem) é meu'. Cânticos 6:3a

TUDO ESTÁ PRONTO DESDE A FUNDAÇÃO DO MUNDO! FAZ PARTE DA HERANÇA EM CRISTO JESUS. SÓ PRECISAMOS CRER NA PALAVRA DE DEUS, CRER QUE O QUE DEUS DIZ É.