quinta-feira, 16 de novembro de 2017

A Soberania de Deus na Conquista de Canaã - Edu Marques


Resultado de imagem para a conquista de canaã pelos israelitas




A principal ideia do Livro de Josué, é que Israel devia servir ao Senhor de todas as suas forças, sob o comando de Josué. E com gratidão a Deus, por haver cumprido suas promessas no passado, mostrando que Deus tem o controle de todos os fatos históricos e até das decisões humanas, como vemos nesse versículo em primeiro lugar:


Êxodo 34:24: "Porque lançarei fora as nações de diante de ti e alargarei o teu território; ninguém cobiçará a tua terra quando subires para comparecer na presença do SENHOR, teu Deus, três vezes no ano".

Deus ordenou que os homens de Israel comparecessem diante dele três vezes ao ano. Essa ocasião daria aos inimigos de Israel uma excelente oportunidade para atacar. Portanto, para isso não acontecer, o Senhor imediatamente assegurou aos israelitas que os inimigos não teriam o desejo de atacá-los durante esses períodos. Como isso poderia acontecer, a menos que o Senhor controlasse a vontade desses pagãos?

O livro mostra a fidelidade de Deus às suas promessas relatando a entrada do povo de Israel na terra prometida. Também a desapropriação e expulsão dos habitantes cananeus de seus territórios, a divisão dessas terras e a renovação da aliança entre Deus e o povo de Israel. Mostrarei ao decorrer desse texto, o controle exaustivo de Deus sobre os homens e suas decisões que são inclinadas a vontade do Senhor.

Dividirei esse texto em três partes e vou procurar explanar elas no decorrer do texto. São elas:

I. A CONQUISTA DA TERRA (1.1-12.24)
II. A DISTRIBUIÇÃO DA TERRA PROMETIDA (13.1-21.45)
III. A LEALDADE À ALIANÇA NA TERRA (22.1-24.33)



Começamos na primeira parte.

I. A CONQUISTA DA TERRA


Logo no capítulo 1, vem sendo tratado como Josué foi bem-sucedido na conquista da terra. No verso 5  Deus diz:

Ninguém te poderá resistir, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei.
Josué 1:5

Indica uma promessa do Senhor particular a Josué, indicando a presença Divina ao seu lado. Mostrando que, ninguém poderia se opor a ele nessa jornada e também nos mostrando que Deus controla até mesmo o coração de seus inimigos. Por que podemos pensar que, se Deus não controlasse  a mente dos ímpios quem poderia garantir que os inimigos não se ajuntassem em um grupo muito maior que Israel e os derrotasse? Contudo, mais uma vez é mostrado que, além de Deus estar presente e ativamente com Josué e seu povo, mostra também a fidelidade de Deus em guerrear contra seus inimigos e lhe garantindo a vitória. Como Josué bem sabia que Deus é aquele que endurece os corações de seus inimigos, e que fazendo isso poderia trazer eles aos pés de Josué para serem aniquilados, Josué lembra de algo no passado da qual participou junto com Deus no comando, e ele bem sabia disso:

Deuteronômio 2:30 diz:
Mas Siom, rei de Hesbom, não nos quis deixar passar por sua terra, porquanto o SENHOR teu Deus endurecera o seu espírito, e fizera obstinado o seu coração para to dar na tua mão, como hoje se vê.

Podemos ver claramente, e lendo os versículos anteriores, podemos até pensar que Deus não causa os eventos ali mencionados, mas que ele meramente permite que aconteçam. Mas isso ignora totalmente a onipotência e a soberania de Deus. Mas vemos que, o texto é bem nítido em dizer que é Deus quem trouxe o rei ao campo de batalha para morrer e o povo de Israel se apossar de sua terra. Josué sabia disso muito bem, em que como foi no passado, seria assim também no seu tempo. Como poderia ser diferente? A menos que Deus "governe todas as criaturas, todas as ações delas e todas as coisas", como a Confissão V.I diz, ou "todas as suas criaturas e todas as ações delas", como diz o Breve Catecismo, na pergunta 11, Ele não seria onipotente e não poderia garantir o cumprimento das profecias. Josué sabia que sim.

No capítulo 2, já nos mostra os espias sendo enviados para Jericó, e nesse caminho eles se encontram com uma prostituta chamada Raabe. É dito que, o rei de Jericó, ficou sabendo a respeito deles e mandou homens para prendê-los. Eles acabam se escondendo com a ajuda de Raabe em sua casa e ela diz:

E disse aos homens: Bem sei que o Senhor vos deu esta terra e que o pavor de vós caiu sobre nós, e que todos os moradores da terra estão desfalecidos diante de vós.
Josué 2:9


Raabe já sabia o que Deus queria que seu povo soubesse, que Ele é quem controla a história e as decisões humanas, e que Ele é perfeitamente soberano e  entregaria a terra de Canaã a Israel e aniquilaria o resto do povo, ou seja, a promessa de Deus era verdadeira. Se conhecemos algo é porque Deus causou, Deus é causa de todas as coisas, pois só ele conhece todas as coisas, e o que a alma humana conhece é apenas o que Deus planta em nosso espírito. O pavor ali mencionado se encontra naqueles que opõe a Deus com sua desobediência e práticas abomináveis. Logo mais a frente no capítulo 5.1; 9.24 e 10.2, é dito que Deus envia o terror aos seus inimigos:

E sucedeu que, ouvindo todos os reis dos amorreus, que habitavam deste lado do Jordão, ao ocidente, e todos os reis dos cananeus, que estavam ao pé do mar, que o SENHOR tinha secado as águas do Jordão, de diante dos filhos de Israel, até que passassem, desfaleceu-se-lhes o coração, e não houve mais ânimo neles, por causa dos filhos de Israel.
Josué 5:1


Então responderam a Josué, e disseram: Porquanto com certeza foi anunciado aos teus servos que o Senhor teu Deus ordenou a Moisés, seu servo, que a vós daria toda esta terra, e destruiria todos os moradores da terra diante de vós, tememos muito por nossas vidas por causa de vós; por isso fizemos assim.
Josué 9:24

Temeram muito, porque Gibeom era uma cidade grande, como uma das cidades reais, e ainda maior do que Ai, e todos os seus homens valentes.
Josué 10:2

Em alguns textos a mais nos diz que Deus envia o medo para aqueles que são declarados seus inimigos:

Os povos o ouviram, eles estremeceram, uma dor apoderou-se dos habitantes da Filístia.
Então os príncipes de Edom se pasmaram; dos poderosos dos moabitas apoderou-se um tremor; derreteram-se todos os habitantes de Canaã.
Espanto e pavor caiu sobre eles; pela grandeza do teu braço emudeceram como pedra; até que o teu povo houvesse passado, ó Senhor, até que passasse este povo que adquiriste.
Êxodo 15:14-16

Neste dia começarei a pôr um terror e um medo de ti diante dos povos que estão debaixo de todo o céu; os que ouvirem a tua fama tremerão diante de ti e se angustiarão.
Deuteronômio 2:25


Esse conhecimento de Raabe se dava pelas notícias que todos os povos cananeus haviam recebidos sobre o que Deus estava fazendo a favor de Israel, por sua fidelidade às suas promessas.

O que ouvindo, desfaleceu o nosso coração, e em ninguém mais há ânimo algum, por causa da vossa presença; porque o Senhor vosso Deus é Deus em cima nos céus e em baixo na terra.
Josué 2:11

Logo mais, ela faz com esses espias lhe façam um juramento, dizendo que não mataria ela e nem os de suas casas, e logo concordaram nisso. Mas, com a condição de que, quando a cidade fosse invadida, todos eles deveriam permanecer dentro de sua casa. Raabe faz esse pacto com eles porque ela sabia do poder e da fidelidade de Deus com suas promessas e que sua palavra não volta vazia.

Quando os espias regressam, eles chegam alegres e confiantes dizendo que: “E disseram a Josué: Certamente o Senhor tem dado toda esta terra nas nossas mãos, pois até todos os moradores estão atemorizados diante de nós.”(Josué 2:24). Com a certeza absoluta de que Deus estava com eles e que a vitória seria certa.



No capítulo 3 e 4, podemos ver o poder de Deus também na natureza, quando ele ordena que os filhos de Israel atravessem o Jordão. No verso 7 do capítulo 3, Ele trás uma promessa particular a Josué, de que a partir daquele dia, Ele engradeceria seu nome perante todo o povo e logo depois Josué diz ao povo:

Disse mais Josué: Nisto conhecereis que o Deus vivo está no meio de vós; e que certamente lançará de diante de vós aos cananeus, e aos heteus, e aos heveus, e aos perizeus, e aos girgaseus, e aos amorreus, e aos jebuseus. Josué 3:10

Que a partir daquele momento, eles teriam a certeza de que todos os povos pereceriam em suas mãos e lhe obedeceriam em tudo. Deus soberanamente cerra as águas do Jordão e os filhos de Israel passam a seco. No capítulo 4 verso 23 e 24 diz:

Porque o Senhor vosso Deus fez secar as águas do Jordão diante de vós, até que passásseis, como o Senhor vosso Deus fez ao Mar Vermelho que fez secar perante nós, até que passássemos.
Para que todos os povos da terra conheçam a mão do Senhor, que é forte, para que temais ao Senhor vosso Deus todos os dias.
Josué 4:23-24

No capítulo 5, é descrito que todos os reis dos amorreus que habitavam do outro lado do Jordão temeram o povo de Israel, por ouvirem as maravilhas que Deus havia feito e que ...”desmaiou-se-lhes o coração”. Deus enviou o medo a eles. Depois nos é mostrado a conquista de Jericó e Ai e a estratégia dos gibeonitas para não morrerem nas mãos dos filhos de Israel. Nós lemos que Ele lançou grandes pedras do céu sobre os cananeus (Josué 10:1), destruiu Jericó e Ai completamente que causou grande espanto nos demais reis e realizou uma terrível execução entre eles. Gibeão, que fez aliança com Israel, é invadida e Josué é chamado para guerrear por eles contra cinco reis dos cananeus que fizeram aliança para derrotar Gibeão. Aconteceu algo supreendente, o Sol e Lua pararam pelo pedido de Josué, não que Josué teria algum poder para fazer isso, aconteceu simplesmente porque o Senhor dos Exércitos batalhava por Israel e por essas guerras e mostrava o seu maravilhoso poder.

Então Josué falou ao Senhor, no dia em que o Senhor deu os amorreus nas mãos dos filhos de Israel, e disse na presença dos israelitas: Sol, detém-te em Gibeom, e tu, lua, no vale de Ajalom.
E o sol se deteve, e a lua parou, até que o povo se vingou de seus inimigos. Isto não está escrito no livro de Jasher? O sol, pois, se deteve no meio do céu, e não se apressou a pôr-se, quase um dia inteiro.
E não houve dia semelhante a este, nem antes nem depois dele, ouvindo o Senhor assim a voz de um homem; porque o Senhor pelejava por Israel.
Josué 10: 12-14

Não houve dia semelhante a esse, porque o Senhor pelejava por Israel, Ele é causa única no mundo e nada pode acontecer por si só, a não ser que Deus cause. Ele têm controle absoluto de tudo o que existe no mundo. E era para Israel confiar nEle, por que ele tem o controle de toda e qualquer situação, seja adversa ou favorável. E do Senhor é que vinha o endurecimento no coração daqueles reis ímpios e de seus soldados, para virem guerrear contra Israel e perecerem ali no campo de batalha. No entanto, os atos soberanos de Deus não eliminam a responsabilidade humana.


Não houve cidade que fizesse paz com os filhos de Israel, senão os heveus, moradores de Gibeom; por guerra as tomaram todas.
Porquanto do Senhor vinha o endurecimento de seus corações, para saírem à guerra contra Israel, para que fossem totalmente destruídos e não achassem piedade alguma; mas para os destruir a todos como o Senhor tinha ordenado a Moisés.
Josué 10:19-20

E outros textos que comprovam isso:

Depois disse o SENHOR a Moisés: Vai a Faraó, porque tenho endurecido o seu coração, e o coração de seus servos, para fazer estes meus sinais no meio deles,
E para que contes aos ouvidos de teus filhos, e dos filhos de teus filhos, as coisas que fiz no Egito, e os meus sinais, que tenho feito entre eles; para que saibais que eu sou o Senhor.
Êxodo 10:1-2

Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma.
Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia.
Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece.
Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra.
Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer.
Dir-me-ás então: Por que se queixa ele ainda? Porquanto, quem tem resistido à sua vontade?
Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?
Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?
E que direis se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição;Romanos 9:14-22


Vimos nesses textos e nessa breve exposição, que Deus é um Ser pessoal que interage com sua criação, Ele não está tão longe como muitos afirmam. Ele de forma alguma viola seus princípios já estabelecidos, e nos mostra claramente que controla todo o curso da história do mundo, a natureza e até as decisões humanas. Sendo assim, podemos confiar em suas promessas e não devemos duvidar delas. Porque Ele é fiel para cumprir, e o que nos promete, é porque Ele tem controle absoluto sobre nós e nada acontece sem sua causação inicial em todas as coisas. Até mesmo nas decisões maldosas dos ímpios, de querer guerrear contra o povo de Deus, mas eles não sabem é que estão a caminho da destruição. Seguimos agora para as distribuições das terras conquistadas.



II. A DISTRIBUIÇÃO DA TERRA PROMETIDA (13.1-21.45)


Nessa seção quero focar principalmente no capítulo 14 onde Josué dá a cidade de Hebrom a Calebe. É dito que:

Então os filhos de Judá chegaram a Josué em Gilgal; e Calebe, filho de Jefoné o quenezeu, lhe disse: Tu sabes o que o Senhor falou a Moisés, homem de Deus, em Cades-Barnéia por causa de mim e de ti.
7 Quarenta anos tinha eu, quando Moisés, servo do Senhor, me enviou de Cades-Barnéia a espiar a terra; e eu lhe trouxe resposta, como sentia no meu coração;
8 Mas meus irmãos, que subiram comigo, fizeram derreter o coração do povo; eu porém perseverei em seguir ao Senhor meu Deus.
9 Então Moisés naquele dia jurou, dizendo: Certamente a terra que pisou o teu pé será tua, e de teus filhos, em herança perpetuamente; pois perseveraste em seguir ao Senhor meu Deus.
10 E agora eis que o Senhor me conservou em vida, como disse; quarenta e cinco anos são passados, desde que o Senhor falou esta palavra a Moisés, andando Israel ainda no deserto; e agora eis que hoje tenho já oitenta e cinco anos;
11 E ainda hoje estou tão forte como no dia em que Moisés me enviou; qual era a minha força então, tal é agora a minha força, tanto para a guerra como para sair e entrar.
12 Agora, pois, dá-me este monte de que o Senhor falou aquele dia; pois naquele dia tu ouviste que estavam ali os anaquins, e grandes e fortes cidades. Porventura o Senhor será comigo, para os expulsar, como o Senhor disse.
13 E Josué o abençoou, e deu a Calebe, filho de Jefoné, a Hebrom em herança.
14 Portanto Hebrom ficou sendo herança de Calebe, filho de Jefoné o quenezeu, até ao dia de hoje, porquanto perseverara em seguir ao Senhor Deus de Israel.
15 E antes o nome de Hebrom era Quiriate-Arba, porque Arba foi o maior homem entre os anaquins. E a terra repousou da guerra.
Josué 14:6-15


Podemos notar que, uma porção de terra em especial é concedida a Calebe como cumprimento de uma promessa feita por sua perseverança em obedecer ao Senhor. Calebe foi um representante da tribo de Judá para espiar a terra que está descrito em Nm.13.6. Josué e Calebe foram os únicos espias que creram nas promessas de Deus, que Ele lhes entregaria a terra de Canaã.
Ele diz que relatou o que sentiu em seu coração, mostrando um coração regenerado e transformado pelo Senhor, perseverou em seguir a Deus, colocando sua fé em prática. A reação do povo foi oposta a dele, foi de medo e de desespero. Ele nos relata que, Moisés fez um juramento a ele, que lhe entregaria a terra em que ele pisou, só que nessa terra os Anaquins habitavam. Mas, ele fala algo que seu coração cheio de fé dizia: “Porventura o Senhor será comigo, para os expulsar, como o Senhor disse.”

No capítulo 15:13-19 nos mostra que Josué cumpriu essa palavra feita por Moisés e entregou essa cidade a Calebe, tudo isso é relatado no livro de Juízes 1.11-15. Mas, o que quero enfatizar é a soberania de Deus nessa conquista de Calebe. Como ele conseguiria em menor número de homens expulsar esses homens de tamanha estatura e homens de guerra?

Calebe sabia que é Deus que controla as decisões humanas, e foi Deus quem até agora estava garantindo a vitória a Israel e não suas forças ou habilidades. Claro que somos vasos na mão do oleiro, e como já vimos que Deus usa os seres humanos como instrumentos do poder Divino, Calebe tinha a plena certeza da vitória. Que Deus traria um endurecimento aos corações dos Anaquins, fazendo com que eles viessem à guerra contra ele ( não nos é dito), mas podemos deduzir de outros textos que assim foi feito. Calebe relata que já havia passado 45 anos dessa promessa e ele nunca duvidou de seu cumprimento, e relata também que o Senhor lhe conservou em vida agora com 85 anos, para lhe entregar essa vitória, esse deve ser o desejo dos nossos corações. Gigantes e cidades muradas não fazem nenhuma diferença para o homem que confia em Deus.

Podemos fechar essa parte sobre as distribuições das terras conquistadas, crendo claramente que Deus não deixou cair por terra nenhuma de suas promessas, e que foi Ele quem derrotou os inimigos de Israel.


III. A LEALDADE À ALIANÇA NA TERRA (22.1-24.33)


Para concluir, podemos ver até aqui a boa e poderosa mão do Senhor favorecendo seus escolhidos. Nessa última parte, vemos o desfecho dessa situação com ainda muitas terras a serem conquistadas, desde que os filhos de Israel obedecessem as Leis do Senhor. Josué no capítulo 23 encoraja os filhos de Israel a perseverarem na lei de Deus, mostrando a responsabilidade do homem à frente da soberania de Deus. Mostra também que o Senhor é poderoso e fiel para cumprir suas promessas, e que ninguém pode resistir a elas pela mão de Deus. Diz que, o Senhor não expulsará algumas nações para que elas sejam laços e acoites a eles, desde que, eles não cumprissem essas exigências. A promessa é válida, e não depende da cooperação humana, e isso na história podemos ver ser uma grande verdade, e que a perda dessa terra seria a prova de seu julgamento. Deus é reto, santo e justo por definição e não há lei nenhuma acima dEle que deva prestar conta. Nossa responsabilidade pressupõe a soberania de Deus, seremos julgados por que Deus nos criou assim responsáveis. Como diz o Ap. Paulo:

Dir-me-ás então: Por que se queixa ele ainda? Porquanto, quem tem resistido à sua vontade?
Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?
Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?
Romanos 9:19-21

Deus diz ao povo de Israel através de Josué, que foi Ele quem entregou todos os povos nas vossas mãos e que deixou uma terra onde eles não trabalharam e cidades que eles não edificaram, vinhas e olivas que não plantaram. Josué faz uma renovação da aliança do Senhor com o povo, mostrando todos os sinais e prodígios que Deus realizou no meio deles, desde a saída do Egito, a passagem pelo deserto e a conquista da terra. O povo concorda fielmente em obedecer ao Senhor Deus.



Bibliografia

Genebra, B. d. (2014). Edição Revisada e Ampliada. São Paulo: Cultura Cristã.
Pregador, H. c. (1892). COMENTÁRIO do Livro de Josué. Nova Iorque: FUNK & Wagnalls COMPANY.