A Nossa Confissão de Fé

NO QUE CREMOS

1.  Cremos na Tri-Unidade Divina

Confessamos um único Deus, subsistente em três pessoas distintas com igual glória, honra, poder e majestade; onde o Pai não é o Filho e nem o Espírito Santo, mas é Deus; O Filho não é o Pai e nem o Espírito Santo, mas é Deus; o Espírito Santo não é o Pai e nem o Filho, mas é Deus. O Pai, o Filho e o Espírito Santo não se constituem três deuses, mas um único Deus. Eles compartilham a essência divina, mas são pessoas distintas. Cremos que Deus, o Filho, “por amor de nós homens e para nossa salvação desceu do céu e encarnou-se e foi feito homem.” Cremos que Deus, o Espírito Santo, chama, reúne, sustenta e preserva um grupo de fiéis discípulos de Jesus na terra até o fim.

“Cremos em Deus Pai, o Todo-Poderoso, criador dos céus e da terra; em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor; o qual foi concebido por obra do Espírito Santo...”.

                                              2.  Cremos na natureza teantrópica de Deus, o Filho

Deus, o Filho, fez-se homem por amor de nós homens e para nossa salvação. Ele assumiu então a natureza humana com todas as suas propriedades e atribuições, com exceção do pecado. Ele nasceu de forma miraculosa, sua  concepção foi virginal. Sua vida impecável, sua morte vicária, sua ressurreição uma primícia. Jesus é verdadeiro Deus de verdadeiro Deus, consubstancial ao Pai quanto à Divindade. Verdadeiro homem, consubstancial conosco quanto à humanidade. Jesus não foi adotado por Deus na manjedoura ou no batismo, Jesus é o eterno Filho de Deus que fez-se homem. Jesus não foi um homem que atingiu o estado de divindade, ele foi Deus que desceu ao encontro de homens pecadores para redimi-los de seus pecados e dar vida eterna aos que crerem com sua morte na cruz do calvário. Após consumar sua obra, Jesus foi assunto aos céus e assentou-se á direita de Deus Pai, lugar da mais alta honra no universo, onde já reina pelo séculos dos séculos, aguardando que seus inimigos sejam postos por estrado aos seus pés.

“... Nasceu da virgem, Maria; padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos; foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia e subiu aos céus onde está assentado à direita de Deus Pai, Todo-Poderoso”.

                             3.  Cremos na obra de Deus, Espírito Santo, no tempo e na história;

O Espírito Santo reúne, preserva e chama os discípulos de Jesus dentre todas as nações da Terra, razão pela qual a igreja é chamada de católica. Esses discípulos, integrados em uma comunidade espiritual sob a autoridade de Jesus, mediante seu Espírito Santo, possui uma só fé, um só Senhor, um só batismo, razão pela qual se diz que a igreja é uma comunhão de santos; pois tem uma herança doutrinária em comum ao longo do tempo e do espaço, apesar de ter espaço para diferenças secundárias.  Essa igreja tem uma única missão na Terra que é proclamar o perdão dos pecados no nome de Jesus. Cremos que o Espírito Santo, segundo sua soberania, distribui dons para os filhos e filhas de Deus e é o selo em cada um deles.

 “... A santa igreja católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados”.

                              4.  Cremos no Retorno de Jesus Cristo

Jesus Cristo virá pessoalmente, isto é, com o mesmo corpo que foi concebido pelo Espírito no corpo da virgem, padeceu a morte na cruz e ressuscitou ao terceiro dia e está agora, assentado à direita de Deus, o Pai.

Jesus Cristo virá visivelmente, isto é, seu retorno não será secreto. “Todo olho o verá”. Seu retorno provocará cataclismo no Universo. “Todos os povos da terra se lamentarão ao verem o sinal do Filho do Homem”.

Jesus Cristo voltará finalmente, isto é, quando Jesus Cristo retornar, virá o fim. Deus será tudo em todos. Ao retornar, Jesus Cristo julgará os vivos e os mortos que hão de ressuscitar nesse momento, juntos, ímpios e justos; e os novos céus e nova terra que aguardamos, conforme sua promessa, serão naquele momento realidade tangível, empírica.

 “Donde (Jesus) há de vir para julgar os vivos e os mortos... (Cremos) na ressurreição do corpo e na vida eterna, amém”.